Um marco nos Alpes

2013-10-09 - A ABB comissionou o maior conversor de frequência do mundo em uma usina hidrelétrica reversível, para uma das principais empresas de energia hidrelétrica na Suíça.



Cada vez mais o revezamento entre a energia solar e a eólica é adicionado à rede elétrica e as soluções de armazenamento de energia estão ganhando importância.

Usinas hidrelétricas reversíveis, tais como as encontradas nos Alpes Suíços, são parceiras ideais para o uso em expansão de energia solar e eólica. Elas se comportam como enormes pilhas, assegurando o necessário equilíbrio entre produção e consumo. Quando a energia é abundante, a água é bombeada de um lago de altitude inferior para reabastecer um lago de altitude superior, onde permanece armazenada. Quando a energia for necessária, a água será liberada instantaneamente movimentando as turbinas à medida que a água cai, gerando eletricidade rapidamente.

A parte mais alta do lago
Até agora, na instalação de Grimsel 2, a única maneira de ajustar o consumo de energia durante a operação de bombeamento para se igualar ao excedente de energia disponível era regular o número de bombas utilizadas. Desta forma, a energia de equilíbrio era gerada usando água armazenada de outros lagos.

Hoje, no entanto, um conversor de energia PCS 8000 da ABB foi montado em um dos quatro conjuntos de motor/gerador síncrono de 80 megawatts, para que a operação de bombeamento possa ser otimizada, usando a água de forma mais eficiente, como um recurso para produção de eletricidade. O potente conversor de 100 megavolt amperes (MVA), incluindo seus transformadores, tem cerca de 10 metros de comprimento e 7 metros de largura e ocupa dois andares atrás de uma imponente sala de máquinas.

Atualizando um dos conjuntos motor/gerador de velocidade fixa para velocidade variável, a máquina síncrona pode agora operar entre 600 e 765 rpm no modo de bombeamento. Por meio de mais de 1000 elementos semicondutores de potência, a frequência pode ser variada - e, consequentemente, a velocidade de rotação –, e com isso, a potência despendida pela bomba pode ser controlada. No caso de Grimsel 2, entre 60 e 91 MW. Isto significa que não é mais necessário utilizar a valiosa água armazenada de outros lagos para equilibrar a potência.


"O nosso Varspeed é um projeto pioneiro e o maior conversor de frequências já instalado em uma usina hidrelétrica no mundo," explica Dr. Gianni Biasiutti, Diretor Executivo da KWO (Kraftwerke Oberhasli AG), empresa líder em hidrelétricas na Suíça, que fornece em média cerca de 2.350 gigawatts-hora (GWh) de energia por ano e o consumo anual é equivalente a cerca de 1,2 milhões de pessoas. Esta abordagem tem despertado a comunidade científica e influenciará a maneira com que futuras instalações hidrelétricas reversíveis podem ser projetadas."



Assista ao vídeo para saber mais sobre o projeto



Fique por dentro:

Siga-nos no TwitterParticipe do nosso grupo no LinkedInConecte-se ao FacebookInscreva-se no nosso canal no YouTube

Busca