Segurança cibernética em sistemas de automação na indústria

2016-09-27 - A produtividade da indústria moderna depende de sofisticados sistemas de automação controlados por computador que se tornaram tão poderosos e omnipresentes que se constituem uma nova revolução industrial – ou, nas palavras da ABB: a Internet das coisas, pessoas e serviços.




O progresso é frequentemente acompanhado por consequências imprevistas. No caso da automação, os computadores que tornam a produção mais inteligente também a fazem mais vulnerável a interferências externas. Uma destas é a possibilidade de infeção pelos softwares maliciosos que infestam a rede: o “worm” (vírus auto-replicante) Stuxnet, que surgiu em 2010, foi um exemplo claro de um vírus concebido para infetar sistemas de controlo industrial. Desde então, encontramos ainda o exemplo de um ataque a uma fábrica de aço alemã que inutilizou uma fornalha, bem como diversos ataques diários que, embora não cheguem às manchetes dos jornais, causam igualmente muitos danos e atrasos.

À medida que os especialistas projetam esses sistemas de controlo com tecnologia de ponta, aprendem igualmente a torná-los tão resistentes quanto possível. Nesse sentido, as equipas de especialistas da ABB formularam um conjunto de medidas com vista a proteger a sua confiabilidade, integridade e disponibilidade. O conceito geral é o de estabelecer uma “defesa em profundidade”, parte essa que é desempenhada pelo sistema de controlo distribuído 800xA da ABB.

A ABB sabe como proteger o seu sistema – desde o início
A ABB reconhece a importância de integrar proteção cibernética aos seus produtos (mais de metade dos quais dependem de ou funcionam com software). Tal começa nas primeiras etapas de projeto e desenvolvimento e mantém-se ao longo dos testes, comissionamento e suporte de ciclo de vida.

Entre outros serviços disponibilizados aos seus clientes, a ABB tem um conjunto destinado à análise contínua dos seus sistemas de TI. Por exemplo, estas são algumas das proteções padrão disponíveis:

· Além das funcionalidades habituais como a realização de cópias reservas dos softwares, auditoria e encriptação, o “Cyber Security Fingerprint” do 800xA pode analisar a configuração de um sistema e os computadores das pessoas chaves e, então, identificar os possíveis pontos fracos.

· O Serviço de Monitorização de Segurança Cibernética da ABB oferece monitorização remota contínua do sistema de controlo e revisões periódicas do seu desempenho.

· A funcionalidade “Whitelisting” (sendo filtro anti-spam que evita que programas não autorizados sejam executados na plataforma do SDCD) é uma opção para clientes com necessidades de segurança mais restritivas. Este recurso impede alterações não autorizadas nas aplicações e pode operar em conjunto com soluções, tais como, o “Industrial Defender Automation Systems Manager™”, que monitoriza as alterações de registos, processos e quantidades de dispositivos presentes na rede.

· Maior controlo de acesso para as operações críticas, tais como alterações no sistema de controlo, operações massivas ou alterações nas configurações. Tal pode incluir a solicitação ao utilizador que confirme a sua identidade ou que se peça a um segundo utilizador que valide o acesso do primeiro, ou as suas permissões de atividade.


Como proteger equipamentos de grande procura na industrialização?
Outro serviço chave para os clientes neste sector, para além da Segurança Cibernética, é o serviço de diagnósticos remotos da ABB. Esta recolha de dados dos equipamentos, tais como acionadores de moinhos GMD, é enviada a uma central de controlo remoto da ABB. A central atua como um banco de dados, uma sala de controlo e um concentrador de comunicação: caso ocorra um problema, a experiência da ABB em controlo automatizado — aliado à sua compreensão dos processos envolvidos —, garante que podem ser resolvidos antes que causem uma paragem não planeada. Toda essa comunicação é processada por uma plataforma remota segura, que não afeta a segurança geral do sistema de controlo; a segurança está embutida em cada camada da plataforma, eliminando a necessidade de recorrer a redes privadas virtuais ou alterar os procedimentos de segurança complexos e trabalhosos.

E qual é a importância para si, que trabalha no sector industrial?
Uma das vantagens está no facto de não ter que arcar com os riscos de interferência não autorizada nas suas operações. Um vírus como aquele que destruiu a fornalha alemã é uma questão ainda mais séria quando sua instalação está dentro do Círculo Ártico ou no meio de uma montanha nos Andes.

No futuro, a operação fabril dependerá cada vez menos de pessoal presente no próprio local e cada vez mais de sistemas digitais responsáveis por otimizar a produtividade e minimizar os riscos à segurança e à saúde. Além disso, à medida que os sistemas de controlo se tornam cada vez mais críticos, mais crítica se torna também a sua proteção contra interferências. Assim combina-se de forma particular toda a experiência adquirida com um conjunto de medidas de segurança que fazem deste um parceiro indispensável para o futuro da industrialização.


    Siga-nos nas redes sociais:

    Follow us on TwitterGet LinkedInConnect on FacebookSubscribe on YouTube

    Busca



    ENTRE EM CONTATO