ABB mira equipamentos de transmissão em 2017

2017-01-13 - Transmissão será "maior fonte de negócios" em 2017, diz José Paiva, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios

ABB mira equipamentos de transmissão em 2017
Apostando no segmento de transmissão de energia, a fabricante de equipamentos suíça ABB fechou um contrato de US$ 75 milhões para fornecer 14 transformadores conversores de corrente contínua para o segundo linhão de transmissão da hidrelétrica de Belo Monte, que está sendo construído pela chinesa State Grid.

A entrega dos transformadores está prevista para o primeiro semestre de 2018. Eles devem entrar em operação em 2019, quando termina o prazo para que a chinesa coloque a linha de 2.500 quilômetros em operação. O chamado segundo bipolo de Belo Monte vai escoar energia gerada no rio Xingu, no Pará, para a região Sudeste.

Apesar da falta de novos projetos de geração de energia elétrica no Brasil, a companhia suíço-sueca não vê problemas no fornecimento de equipamentos para o setor elétrico. O foco, agora, está nos projetos de transmissão.

"Se olharmos para a frente, do ponto de vista de mercado e possibilidades de negócio, essa deve ser a maior fonte de negócios para 2017, na nossa opinião", disse José Paiva, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios e Relações Governamentais da ABB, se referindo ao segmento de transmissão de energia.

Segundo Paiva, o contrato com a State Grid já melhora a condição da companhia ao longo do ano. "Ele [contrato] vai nos dar uma melhor condição de passar 2017 sem grandes percalços. Todas as empresas passam por momentos de carga baixa, capacidade improdutiva elevada." A ABB negocia também outro contrato de suporte técnico dos conversores, disse.

A maior parte dos transformadores fabricados na fábrica da ABB de Guarulhos é destinada à sistemas de corrente alternada, comuns em linhas de menor porte. É o caso dos empreendimentos que foram objeto do leilão de transmissão realizado em outubro, que envolveu cerca de R$ 11 bilhões em investimentos. Para abril, é esperada uma nova disputa de porte semelhante. "Estamos confiantes de que o leilão de abril será um sucesso e, seguramente, vai trazer negócios para toda a área de equipamentos elétricos", disse Paiva.

A tecnologia dos conversores de corrente contínua, porém, é considerada mais sofisticada, por carregar uma quantidade maior de energia por distâncias mais longas, com perdas menores do que as dos sistemas de corrente alternada. A ABB já forneceu equipamentos do tipo para o escoamento da energia da hidrelétrica de Itaipu para o Sudeste e também, mais recentemente, em uma das linhas do rio Madeira.

Além da expectativa de novos negócios resultantes dos leilões de transmissão, a companhia também espera que o governo licite nos próximos anos duas grandes linhas adicionais que vão conectar as regiões Norte e Nordeste ao Sul e Sudeste. "Esperávamos que as duas linhas fossem a leilão em 2018, mas hoje já acreditamos que isso ficará para 2019", disse Paiva.

Segundo ele, os projetos serão necessários pois grande parte da geração de energia eólica e solar nova está no Nordeste, enquanto grande capacidade hidrelétrica está no Norte. A carga, por sua vez, está concentrada no Sul e Sudeste. "Já há limitação de capacidade de se trazer energia para o Sudeste, não tem linha para escoar toda a energia dentro do sistema como um todo", explicou.

Fonte: Valor Econômico | Caderno Empresas | Jornalista Camila Maia



Busca



ENTRE EM CONTATO