Tecnologia de acionamento da ABB ajuda o Viking Grace a navegar para dentro e para fora do porto de maneira mais rápida e segura

2014-09-22 - Muitos avanços tecnológicos foram feitos abaixo do deck no Viking Grace, a primeira maior balsa de passageiros a gás natural liquefeito do mundo que faz o trajeto entre Turku, Finlândia e Estocolmo, Suécia.
Os guinchos do Viking Grace usam acionamentos da ABB para ajudar a fazer escalas mais eficientes

Deve-se também dar atenção ao sistema sofisticado de guinchos que permite que o navio de 218 metros de propriedade da Viking Line complete as escalas de forma rápida e sem interrupções, iniciando a próxima etapa de sua jornada sem atraso.

O controle de tensão preciso e constante dos cabos que seguram a embarcação, é fundamental para garantir que o Viking Grace desembarque rapidamente até 2.800 passageiros e descarregue até 500 automóveis a bordo.

A tecnologia do industrial drive ACS 800 da ABB permitiu ao fornecedor de guinchos Norwegian Deck Machinery de Bergen, Noruega, dispensar o uso dos sistemas hidráulicos antigos que, dentre outras coisas, poderiam apresentar vazamento de óleo. Ao invés disso, os guinchos do Viking Grace contam com os inversores de frequência da ABB para controlar precisamente a velocidade dos motores, garantindo que o barco complete suas escalas dentro do programado.

Clientes exigem inversores de frequência da ABB

Jarle Sorstronen, diretor executivo da Norwegian Deck Machinery
“Estamos usando a ABB o tempo todo,” disse Jarle Sorstronen, diretor executivo da Norwegian Deck Machinery. “E às vezes, é uma exigência do cliente ter inversores de frequência da ABB.”

A proprietária do Viking Grace, Viking Line, escolheu a ABB para fornecer a estrutura de energia elétrica e o sistema de propulsão completos juntamente com o sistema de gerenciamento de energia EMMA, parte do advisory suite para embarcações da ABB, transformando a balsa à GNL em uma das embarcações do seu gênero mais ecologicamente corretas do mundo.

Mas o carro-chefe da frota de balsas precisava de um sistema igualmente eficiente para garantir que poderia acelerar as viagens para dentro e fora de Estocolmo e de Turku, um desafio que exige uma operação precisa dos guinchos marítimos operando a velocidades baixas e com torque alto.

Houve uma época em que os guinchos marítimos eram controlados por sistemas hidráulicos, cujas propriedades de amortecimento, ao menos até recentemente, eram incomparáveis aos controles elétricos.

Novos acionamentos eletrônicos superam os hidráulicos

Mas a ABB, cuja tecnologia de acionamento fora inicialmente desenvolvida para molinetes antes de ser expandida, criou uma nova solução que fez do controle elétrico algo muito mais preciso e confiável.
Um dos acionamentos ACS800 da ABB para aplicações marítimas.

Na verdade, com a solução da ABB, o controle de força elétrico avançou a um ponto onde este agora é tão bom quanto ou até melhor do que os sistemas hidráulicos que está substituindo.

“NDM observou diversos benefícios ao usar os acionamentos e o software de guinchos da ABB,” disse Frank-Robert Fauskanger, gerente de vendas de acionamentos da ABB em Fyllingsdalen, Noruega. “Eles adaptaram nossa solução e a colocaram em seus guinchos.”

Desenvolvimento técnico contínuo

Agora, a Norwegian Deck Machinery e a ABB estão trabalhando juntas para desenvolver soluções de guinchos ainda mais sofisticadas, tanto para aplicações offshore quanto para a expansão do comércio de balsas.

“Podemos, juntos, desenvolver mais guinchos ainda mais complexos,” disse Sorstronen. “Usando nosso conhecimento de mercado e nossos contatos, combinados com a experiência da ABB em inversores de frequência, estamos juntos realizando desenvolvimento técnico contínuo.”

Antes de equipar o Viking Grace, antes de seu comissionamento em 2013, a ABB forneceu à Viking Line soluções de acionamento adicionais para ajudar o proprietário do barco a solucionar desafios inflexíveis.

Por exemplo, a ABB equipou o operador da balsa m/s Mariella com um acionamento industrial ACS 800 após seu sistema anterior de controle de atracação de três velocidades ter sido responsável por danificar motores.

‘Não precisamos mais tocá-lo’

O resultado tem sido custos baixos, manutenção reduzida e aumento da confiabilidade do barco e para seus 2.500 passageiros ao realizarem o trajeto Helsinque-Mariehamn-Estocolmo.

“A melhor coisa é que não precisamos mais tocá-lo.” diz Jonas Rautelius, eletricista do Mariella. “É mais fácil, os operadores de guincho podem ativar apenas o controle de autoatracação e deixar o guincho operar sozinho. Com o sistema antigo, eles tinham que verificar constantemente se o cabo estava apertado.”

Busca



ENTRE EM CONTATO