Ajudando os jovens em sua carreira profissional

2012-11-26 - A ABB está participando de um projeto na África do Sul para desenvolver os gaps de conhecimento de estudantes que deixam a escola com pouca perspectiva de emprego na indústria. É um programa que beneficia o estudante, a comunidade e a ABB.
A taxa de desemprego de 50% para pessoas entre 15 e 24 anos na África do Sul deve-se em parte à lacuna entre a educação oferecida pelas escolas profissionalizantes e as exigências da indústria.

Para melhorar a situação, em 2008, a ABB juntou-se à Swiss-South African Co-operation Initiative - SSACI para proporcionar experiência profissional aos estudantes de engenharia dos institutos técnicos profissionalizantes. O projeto também capacita os professores, oferecendo ferramentas e treinamentos.

A SSACI é uma parceria pública-privada entre a Agência para Desenvolvimento e Cooperação Internacional do governo da Suíça e empresas da África do Sul e Suiça. Cerca de 40 empresas, incluindo a ABB, apoiam o programa financeiramente e na hospedagem dos estudantes.

A cada ano, cerca de doze estudantes visitam a ABB por meio desse projeto. Quatro foram contratados pela ABB desde que o programa começou.

Obtendo experiência na prática: Os estudantes aprendem como os equipamentos da ABB funcionam
Experiência de trabalho na ABB
No início deste ano, nove estudantes do South West Gauteng College, na pequena cidade de Soweto, passaram suas duas semanas de férias ganhando experiência de trabalho nas instalações da ABB em Longmeadow, que ofereceu oportunidades de aprendizagem nas divisões de Sistemas de Potência e Automação de Processos.

Eles receberam suporte dos mentores da ABB, conheceram diferentes departamentos, aprenderam como aplicar seu conhecimento teórico na prática e experimentaram a vida de trabalho sde uma empresa.

Pacha Mukuna, engenheiro de vendas que foi mentor dos estudantes em várias ocasiões diz: "Os estudantes chegam na empresa com um esteriótipo da indústria e não têm ideia do que a área de vendas realmente faz. Com esta experiência de trabalho ajudamos a criar caminhos de carreira alternativos e novas perspectivas para eles”.

Cecilia Makhado, estudante de 23 anos diz: “Estar na área de Vendas na ABB me fez tomar consciência pela primeira vez sobre a importância de se falar com o cliente”. Para Michael Mothlwula, 21 anos, a experiência abriu seus olhos. “Pude ver como as coisas são interconectadas e que todos necessitam trabalhar juntos. Tarefas práticas tornam-se muito mais fáceis de entender."

Múltiplos benefícios
Os professores da faculdade também veem o benefício. Xoliswa Elizabethy Diyane disse: “Após a experiência de trabalho na ABB, os estudantes trabalham mais rápido nos projetos e apresentam uma melhor compreensão geral". A professora Rebecca Malebo Langa comenta: “Os estudantes ganham confiança ao verificar que o conhecimento adquirido pode ser relamente aplicado na indústria, desta forma,eles agora ficam realmente ansiosos em conseguir uma oportunidade de trabalho".

Os estudantes são apresentados à tecnologia da ABB nas instalações de Longmeadow.
A experiência de trabalho também tem um impacto positivo nas notas dos estudantes e nas futuras carreiras. "Em 2007, quase nenhum de nossos estudantes estavam aptos a passar no National Certificate Vocational level (certificado de nível profissionalizante) devido a falta de experiência profissional. No ano passado tivemos um bom progresso. Há também a questão do estágio: enquanto anteriormente tínhamos uma taxa de menos de 10%, agora podemos dar oportunidade de estágio a 80% de nossos estudantes.", diz Edith Mashile, Gerente do Campus no South West Gauteng College.

A experiência prática também tem aspectos positivos para os funcionários da ABB. Como Pacha Nukuna diz: “Poder ampliar as perspectivas de uma pessoa em um ambiente profissional foi muito benéfico e quase uma sensação de realização para mim também. Além disso, foi uma excelente oportunidade de aperfeiçoar minhas habilidades de liderança.” Jonas Paseka Mokoena, Gerente de Serviços Pós-vendas diz que a experiência foi muito enriquecedora. “Estou muito orgulhosa de ajudar a dar a esses garotos uma oportunidade para o futuro. Plantamos algumas sementes que podem fazer deles estudantes melhores e futuros bons funcionários.”

Shiven Sukraj, Diretor da Divisão Local de Automação de Processos, conclui: “Com essa experiência prática despertamos o interesse na ABB e a conscientização sobre a companhia. Os estudantes podem tornar-se funcionários ou futuros clientes, e ambas alternativas são excelentes.”

Criando valor nos negócios

Há outros benefícios potenciais do projeto. Phindo Mohlala, Diretor de Recursos Humanos da ABB na África do Sul, diz: "O investimento da empresa em questões sociais é uma das principais ferramentas para aumentar a visibilidade da marca e tal compromisso com a comunidade deixa nossos funcionários orgulhosos em trabalhar para a ABB".

Projetos comunitários como este também criam valores diretos nos negócios. Confidence Mabulwana, Engenheiro de Propostas Sênior, explica que "podemos usar nossos projetos comunitários como referência para propostas de projeto. Licitações frequentemente requerem informações sobre que tipo de habilidades uma empresa desenvolverá na comunidade. É, por exemplo, uma parte obrigatória ao fazer cotação para clientes, tais como, Esdom ou Transnet. Tais projetos comunitários também podem levar a uma vantagem competitiva".

Preencher gaps de conhecimento por meio de programas de experiência profissional, claramente proporciona beneficiosaos stakeholders. não apenas para os estudantes e professores, mas também para os funcionários da ABB e a própria empresa.


Fique por dentro:

Siga-nos no TwitterParticipe do nosso grupo no LinkedInConecte-se ao FacebookInscreva-se no nosso canal no YouTube

Alunos da universidade chegam ao prédio da ABB para aprenderem a parte prática de seus estudos

Busca