ABB apresenta forte crescimento em pedidos e caixa no 2T14

2014-09-17 - Portal Fator Brasil (online) Data: 5.8.14

Zurique, Suíça – ABB anunciou o resultado do segundo trimestre de 2014 com forte crescimento de encomendas, faturamento estável e um aumento significativo no caixa das operações. A menor margem do Ebitda operacional reflete, principalmente, os desafios relacionados com o projeto em curso na divisão de Sistemas de Potência (PS). As encomendas de $10,6 bilhões foram 14% mais elevadas (13% em termos comparáveis) em comparação ao mesmo trimestre de 2013. Os pedidos de base foram acelerados e a entrada de grandes projetos cresceram em mais de 70%. A dinâmica de crescimento positivo foi mantida em todas as regiões.

"Em outubro passado, dissemos que iríamos conduzir o crescimento orgânico por meio da penetração, inovação e expansão, e, agora, estamos apresentando os resultados," disse o CEO da ABB, Ulrich Spiesshofer. "Nossas ações concentradas estão valendo a pena e dão suporte a um maior impulso global das encomendas. No segundo trimestre, vimos um crescimento animador em nossos dois maiores mercados, os EUA e a China." A forte entrada de encomendas resultou em uma relação positiva de 1,04 x do índice de encomenda sobre vendas. A ABB apresentou faturamento inalterado de $10,2 bilhões apesar do menor volume de pedidos abertos em carteira.

Ebitda operacional foi impactado por uma perda na divisão de PS relacionada com encargos de projetos em andamento, em grandes contratos de engenharia, projetos de construção para offshore (EPC), geração de energia eólica e solar. A nova equipe de gerenciamento tem implementado ações rigorosas para eliminar o risco do portfólio de PS e ajustar a capacidade. Adicionalmente a saída do negócio de EPC solar, a ABB está implementando um novo modelo de negócio de energia eólica para offshore EPC. "Como dito anteriormente, a Divisão de PS poderá impactar os ganhos dos próximos trimestres” – disse Spiesshofer. "Estamos conduzindo o turnaround (a virada) em PS com prioridade e fizemos bons progressos na redução da exposição."

A margem Operacional Ebitda foi estável em PS e nas demais Divisões foi mais elevada, excluindo o impacto esperado em Discrete Automation and Motion pela aquisição da Power-One. O caixa de operações melhorou em mais de 60%, resultando em $888 milhões no trimestre. A ABB executou com sucesso o seu plano estratégico anunciado de reduzir o portfólio de negócios que tem limitado as sinergias com o resto do escopo. "Desde outubro do ano passado, temos nos movimentado com rapidez em busca de nosso compromisso de otimizar o portfólio para criação de valor, reforçando o foco no negócio principal," disse Spiesshofer. "Para o segundo semestre do ano, vamos continuar a impulsionar fortemente as nossas iniciativas de crescimento orgânico em um ambiente misto de mercado," disse ele. "Iremos conduzir nossa execução implacável sobre o caixa e reforçar a dinâmica de redução de custos. Estamos confiantes de que nossas iniciativas de crescimento e execução estável trarão resultados positivos para nossos acionistas." A ABB promoverá o capital markets day em 09 de setembro em Londres, para comunicar sua nova estratégia e metas financeiras, bem como as prioridades para a criação de valor e alocação de capital.

Resumo dos resultados do segundo trimestre - Visão geral do crescimento: a demanda por sistemas de distribuição de energia e por concessionárias de serviços manteve-se estável no trimestre, enquanto seus investimentos em transmissão de energia permaneceram seletivos. A demanda industrial variou em cada região e por mercado final com tendências positivas em setores como petróleo e gás e na indústria em geral, permanecendo fraco no setor de mineração. Os mercados de infraestrutura também estiveram mesclados. Os mercados de construção permaneceram inalterados para ligeiramente fracos, enquanto a demanda do transporte marítimo e ferroviário foi positiva.

O total de entrada de pedidos foi 14% maior no trimestre (13% em uma base comparativa). Aproximadamente metade do aumento resultou de um maior número de encomendas de grande porte (acima de $15 milhões), particularmente o recebimento do pedido de uma linha de transmissão HVDC (corrente contínua de alta tensão) de $400 milhões, no Canadá. Pedidos de base (abaixo de $15 milhões) foram 9% superiores (7% comparativamente) em crescimento na maioria dos negócios de produtos de ciclo curto da ABB. As grandes encomendas representaram 14% do total recebido no trimestre, em comparação com 9% no mesmo trimestre de 2013.

Os pedidos de serviço aumentaram 12% e representaram 17% do total, inalterados em relação ao trimestre do ano anterior. As receitas permaneceram inalteradas no segundo trimestre (comparativamente 1% abaixo). O aumento das receitas da divisão de Discrete Automation and Motion compensaram um declínio das receitas nas divisões de Automação de Processos e Sistemas de Potência em que os pedidos abertos em carteira foram menores se comparados ao mesmo trimestre do ano anterior. A receita de serviços ficou estável e representou 16% do total das receitas, inalterado em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. A carteira de pedidos no final de junho somava $27,1 bilhões, um decréscimo de 5% em comparação com o final do mesmo trimestre de 2013, mas 5% maior do que no final de 2013.

Discrete Automation and Motion: Uma combinação de iniciativas de crescimento e demanda mais elevada em negócios de ciclo curto atendendo à indústria em geral e na manufatura conduziram o crescimento das encomendas no trimestre, liderado por um sólido aumento dos pedidos de base. As grandes encomendas foram menores. O aumento de receita em robótica e de serviços mais do que compensou o impacto de uma abertura inferior da carteira de pedidos em motores de grande porte e acionamentos de média tensão, em relação ao mesmo trimestre em 2013.

Produtos de Baixa Tensão: Os pedidos ficaram estáveis em comparação com o mesmo período do ano anterior e, excluindo os desinvestimentos anunciados anteriormente, os demais negócios em curso melhoraram. O crescimento da receita foi impulsionado principalmente por negócios de produtos e sistemas.
Automação de Processos: Tanto os pedidos de grande porte como os de base melhoraram no segundo trimestre, impulsionados principalmente pela força dos setores de marine, e de papel e celulose. A demanda da indústria de mineração subiu, mas manteve-se em níveis baixos. Os pedidos aumentaram nas Américas e na Ásia. Ficaram inalterados na Europa e ligeiramente abaixo no Oriente Médio e África. As receitas foram menores como a execução de uma forte carteira de pedidos de petróleo e gás, que foi compensada principalmente por um declínio nas receitas de mineração e Marine. As receitas de lyfecicle no trimestre foram compensadas por receitas menores de Full Service.