3º trimestre da ABB: Sólido desempenho em toda a empresa

2013-10-25
  • Receitas1 e EBITDA2 operacional maiores em todas as divisões, lucro líquido acima de 10%
  • Pedidos3 de base continuam crescendo, grandes projetos são baixos
  • Novo CEO fala sobre as prioridades para o crescimento, colaboração e execução
Zurique, Suíça, 24 de outubro de 2013 – A ABB anunciou maiores receitas, lucros e fluxos de caixa no terceiro trimestre de 2013, com a melhoria do desempenho de todas as divisões.

Os pedidos de curto ciclo, impulsionados principalmente por investimentos do cliente na melhoria da produtividade e da eficiência, cresceram em relação ao mesmo trimestre de 2012, ocorreu mais atrasos para receber grandes projetos – resultado, principalmente, das incertezas econômicas atuais - e o reposicionamento estratégico da divisão de Sistemas de Potência resultou em menores encomendas de grande porte.

"Foi um trimestre sólido no qual trabalhamos bem, aumentando as receitas, os lucros, o caixa e o lucro líquido, apesar do constante clima contraditório dos negócios", disse Ulrich Spiesshofer, CEO da ABB. "Atingimos um bom crescimento nos pedidos em vários dos principais mercados, inclusive na China e na Alemanha e nossa base de encomendas voltou a crescer. A apresentação de projetos em concorrências em setores como transmissão de energia, petróleo e gás continua a aumentar, mas grandes pedidos continuam baixos.

"Ao mesmo tempo, podemos fazer mais para melhorar o nosso desempenho e agregar maior valor a todos os nossos stakeholders," disse ele. "Por exemplo, temos oportunidades significativas para atingir um crescimento rentável por meio de maior penetração no mercado — disponibilizando mais para os nossos segmentos de clientes existentes — e acelerando o desenvolvimento e a comercialização de produtos inovadores e pacotes de soluções. Também continuaremos expandindo em mercados mais atraentes, crescendo tanto organicamente e preenchendo as lacunas no portfólio por meio de aquisições.

"A segunda área de foco será melhorar a nossa colaboração entre as áreas de negócios, agregando mais valor para o cliente com a venda e a entrega do portfólio combinado de automação e energia da ABB. Uma colaboração aprimorada nas operações nos permitirá levar a produtividade ao próximo nível.

" A execução rigorosa será a terceira área de foco. Vamos impulsionar ainda mais o ritmo das economias sustentáveis de custo, do fluxo de caixa, bem como a eficiência do capital. Além disso, estamos intensificando o foco sobre uma integração bem sucedida de nossas aquisições, para maximizar o retorno dos nossos investimentos. O anúncio, no início desta semana, de que Greg Scheu vai conduzir os esforços globais de integração das aquisições da equipe de executivos reflete o nosso compromisso de reconhecer o valor de nossas aquisições.

"Olhando para o futuro, os impulsionadores do crescimento a longo prazo estão absolutamente intactos, mas vários indicadores futuros são contraditórios e ainda enfrentamos algumas incertezas do mercado a curto prazo", disse Spiesshofer. "Mas, mesmo em um ambiente volátil, nossa firme posição no mercado, liderando a tecnologia e ampliando o portfólio dos negócios vai nos permitir capturar oportunidades de crescimento lucrativo. Portanto, vamos continuar a conduzir o volume de negócios de uma forma muito objetiva ao trabalhar no custo, na colaboração orientada para os negócios e na eficiência melhorada do capital."

Key figures
T3 13
T3 12
Variação
$ milhões em US$
exceto se diferentemente indicado
US$
Local
Encomendas
9,089
9,295
-2%
-2%
Pedidos em carteira(fim de junho)
27,454
29,175
-6%
-4%
Faturamento
10,535
9,745
+8%
+9%
Lucro nas operações
1,324
1,146
+16%
% do faturamento
12.6%
11.8%
EBITDA Operacional
1,638
1,483
+10%
% receitas operacionais
15.7%
15.3%
Lucro líquido atribuível
à ABB
835
759
+10%
Ganho básico por ação ($)
0.36
0.33
Fluxo de caixa de atividades operacionais
1,241
768
+62%
Visão geral de crescimento
O ambiente mundial dos negócios permaneceu instável no terceiro trimestre. A demanda de negócios de ciclo curto cresceu em linha com a evolução macroeconômica. O crescimento foi liderado pela demanda tanto de clientes industriais como de concessionárias por produtos e soluções que os ajudem a aumentar a produtividade e a confiabilidade dos ativos existentes.

A capacidade da ABB para explorar essas oportunidades de crescimento em negócios de ciclo curto é refletida no aumento de 5% nos pedidos de base, impulsionado, em parte, pelo melhor equilíbrio geográfico da ABB, especialmente nos Estados Unidos, por meio de suas bem sucedidas integrações das aquisições da Thomas & Betts e da Baldor Electric. Ao longo do ciclo os investimentos sustentados em vendas e pesquisa e desenvolvimento também deram sustentação ao crescimento dos pedidos de base. Eles cresceram em todas as divisões, exceto em Sistemas de Potência, onde a maior seletividade — parte do reposicionamento da divisão para projetos de maiores valor agregado — impactou-os em negócios como subestações.

Os investimentos de capital de longo ciclo dos clientes em mercados tais como concessionárias de energia e mineração foram adiados, em parte devido ao excesso de capacidade em alguns deles, bem como devido às incertezas econômicas. Como resultado disso e do cronograma de recebimento de projetos, as grandes encomendas (acima de 15 milhões) diminuíram 43%. No entanto, as concorrências nesses mercados estão aumentando conforme a grande necessidade da produtividade industrial, das melhorias de infraestrutura, bem como as melhorias de confiabilidade da grade permanecem intactas em todas as regiões. As grandes encomendas representaram 9% das encomendas totais, comparadas com 15% no período do ano anterior.

As ordens de serviço aumentaram 2% no trimestre e representaram 17% do total das encomendas, 16% acima do mesmo trimestre de 2012

Receita aumentou 9% e foi maior em todas as divisões, principalmente na combinação do crescimento mais forte nos negócios de ciclo curto, bem como execução da carteira de pedidos. A receita de serviços aumentou 5% no trimestre em comparação com um ano atrás e representou 15% do total das receitas.

Visão geral dos lucros

EBITDA operacional
O EBITDA operacional no terceiro trimestre de 2013 totalizou $1,6 bilhões, um aumento de 10% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A margem do EBITDA operacional do Grupo aumentou de 15,3% para 15,7%, refletindo, sobretudo, a influência positiva dos volumes mais elevados de pedidos. As melhorias na redução de custos e de produtividade compensaram a pressão dos preços.

Resultado operacional e lucro líquido
O resultado operacional totalizou aproximadamente $1,3 bilhões, 16% superior ao mesmo trimestre em 2012.

O lucro líquido do trimestre aumentou 10%, para $835 milhões, em linha com o EBITDA operacional. O lucro básico por ação no terceiro trimestre foi de $0,36 contra $0,33 no ano anterior. No acumulado do ano, o EPS básico aumentou 8% e o EPS5 operacional aumentou 7%.

Fluxo de caixa e balanço
A ABB reportou um caixa operacional de $1.241 milhões, em comparação com $768 milhões no terceiro trimestre de 2012. O Net working capital, como porcentagem da receitas5 totalizou 18%, um aumento de 1 ponto percentual em relação ao fim do mesmo trimestre do ano anterior.

A dívida5 líquida da ABB no final do trimestre foi de $3,4 bilhões, como no final de junho e inclui o impacto do pagamento líquido em julho de aproximadamente $750 milhões pela aquisição da Power-One.

Iniciativas estratégicas
Ulrich Spiesshofer, que assumiu a função de CEO em 15 de setembro de 2013, disse que a administração pretende concentrar-se em três áreas-chave nos próximos trimestres: conduzir o crescimento rentável orgânico e inorgânico; colaboração mais forte em toda a organização para melhorar a oferta da ABB aos seus clientes e elevar a produtividade; e a "execução rigorosa" em todas as operações da empresa.

“Fizemos muitos progressos em relação a nossas metas para 2011 – 2015, e vamos continuar
executando esse plano,” disse Spiesshofer. “Ao mesmo tempo, há oportunidades importantes de reforçar nosso desempenho e de agregar um valor maior para nossos clientes - juntos.”

O crescimento rentável será impulsionado pelo foco maior na penetração no mercado dos segmentos de clientes existentes, combinando ofertas entre diferentes negócios de forma mais eficaz e melhorando continuamente o serviço e a proximidade com o cliente. Isso inclui tanto novos produtos e pacotes inovadores, como soluções de ofertas e serviços existentes.

A maior colaboração entre as áreas de negócios vai trazer um resultado significativamente maior para os clientes, oferecendo um conjunto mais integrado de soluções. Também irá aumentar a produtividade em áreas como vendas, desenvolvimento de produtos e atendimento de pedidos. "É claro que podemos fazer mais para tornar nossos clientes mais competitivos, para melhorar a nossa produtividade e para acelerar o crescimento rentável", disse Spiesshofer.

O foco administrativo na execução vai incluir não apenas a entrega consistente de economias de custos, equivalentes a 3-5% do custo das mercadorias vendidas a cada ano, mas também a gestão mais rigorosa do net working capital para aumentar o fluxo de caixa, bem como a condução da excelência na integração das empresas recém adquiridas.

Perspectivas
Nossos impulsionadores de demanda a longo prazo — tais como a necessidade de maior produtividade industrial, entrega mais confiável e eficiente de energia e o desenvolvimento das energias renováveis — permanecem. A evolução macroeconômica de ciclo curto permanece positiva, mas vários indicadores contêm sinais contraditórios e ainda enfrentamos algumas incertezas de mercado a curto prazo.

Neste ambiente, vamos continuar executando o nosso plano para 2011-15. O crescimento será apoiado pela entrega de nossa extensa carteira de pedidos, bem como pelo aumento do foco na penetração do mercado, na inovação e na expansão. Continuaremos focados na redução de custos e na melhoria de produtividade, equivalentes a 3-5% do custo de vendas todos os anos através da gestão melhorada de abastecimento, melhor qualidade e maior retorno nos investimentos em vendas e P&D.

Continuamos empenhados em apresentar mais dividendos aos acionistas e melhorar o retorno do nosso capital investido.

Para acessar o press release na íntegra, confira a versão em inglês.

A ABB (www.abb.com.br) é líder em tecnologias de energia e automação, proporcionando aos clientes industriais e de concessionárias a melhoria da sua performance energética, além da redução dos impactos ambientais. O grupo ABB opera em cerca de 100 países e emprega em torno de 150.000 funcionários.

Fique por dentro:

Siga-nos no TwitterParticipe do nosso grupo no LinkedInConecte-se ao FacebookInscreva-se no nosso canal no YouTube