ABB vai ampliar força de trabalho em 20% no País Presidente mundial se reúne com Vale, Eletrobras e Petrobras

2014-03-07 - Veículo: ABE Eólica site Data: 7.3.14

A fabricante suíça de equipamentos de energia e automação ABB vai aumentar em 20% sua torça de trabalho no Brasil, para 6 mil funcionários, até 2015. As 1 mil vagas adicionais serão destinadas para a fábrica inaugurada na última semana pela companhia em Sorocaba (SP). A unidade, em operação desde o segundo semestre de 2013, faz parte dos investimentos de US$ 200 milhões que a empresa planeja para o Brasil entre 2011 e 2015.

"O Brasil tem uma grande necessidade de investimento em in-fraestrutura nos anos que virão. A participação do Brasil no port-fólio da ABB está crescendo significativamente. E queremos crescer mais rápido do que o mercado brasileiro", afirmou ao Valor o presidente mundial da ABB, Ulrich Spiesshofer, que esteve no Brasil na última semana.

Na curta viagem ao país, o executivo também assinou contrato de fornecimento de subestações para a Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR), cujo valor não foi revelado e participou de reuniões com representantes de três das maiores empresas do país: Petrobras, Vale e Eletrobras.

Com relação ao contrato assinado com a CCR, a encomenda foi feita no último trimestre de 2013 e prevê o fornecimento de infraestrutura de energia para a expansão das linhas de metrô da região metropolitana de Salvador (BA). O escopo do projeto inclui a construção de duas subestações primárias, 17 subestações de distribuição, sete subestações de tração e um anel de média tensão de 32 quilômetros.

Já as reuniões com representantes de Petrobras, Vale e Eletrobras tiveram um caráter institucional, segundo Spiesshofer. No caso da Petrobras, por exemplo, o executivo disse que a ABB discutiu formas de ajudar a petroleira a implantar seu "ambicioso" plano estratégico até 2030 e o aumento do índice de conteúdo local de seus projetos no país.

Questionado sobre a negociação com a Eletrobras para o fornecimento do pacote de equipamentos de conexão do segundo linhão de Belo Monte, o presidente da ABB desconversou: "Nunca conversamos apenas sobre um projeto. Naquela reunião, falamos sobre a relação da companhia com a Eletrobras".

A ABB disputa o bilionário contrato com a francesa Alstom e a alemã Siemens. A Eletrobras, junto com a chinesa State Grid, é forte candidata a vencer o leilão do projeto do segundo linhão que transportará energia da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, para o Sudeste. O leilão ainda não tem data marcada.

A ABB faturou globalmente US$ 42 bilhões em 2013. Desse total, 60% foram oriundos da área de negócios de automação e 40% da unidade de energia. No Brasil, o faturamento da empresa alcançou R$ 2,6 bilhões em 2013. Instalada no país desde 1954, a ABB forneceu os equipamentos elétricos para o primeiro bondinho do Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro, em 1912.

Com 125 mil metros quadrados de área fabril, a nova unidade instalada em Sorocaba vai abrigar a primeira fábrica de subestações compactas da ABB no país, para atender a alta demanda local. A nova fábrica também terá linhas de motores, geradores, sistemas de acionamento, retifica-dores e produtos de medição e de baixa tensão. A nova unidade é a quinta da ABB no Brasil. As outras estão localizadas nos municípios paulistas de Osasco e Guarulhos (duas) e em Blumenau (SC).


Fonte: Valor Econômico