Azipod da ABB é indispensável para a indústria de navios cruzeiros em crescimento, no gelo do Ártico

2014-09-22 - As unidades de propulsão Azipod da ABB são essenciais para navios de cruzeiro grandes e uma nova geração de navios transportadores de gás natural liquefeito que navegam através do gelo. A ABB oferece não apenas tecnologia e serviço, mas também treinamento.
O sistema de propulsão Azipod da ABB dentro da fábrica no Porto Vuosaari da Finlândia

Quatro milhões de passageiros de cruzeiro descem no Porto de Miami anualmente de uma tropa de navios gigantes, fazendo a metrópole fora da Baía de Biscayne, a Flórida ensolarada, um dos portos mais agitados do planeta.

A milhares de quilômetros de distância no Oceano Ártico, um dos ambientes mais severos para viagens marítimas com temperaturas baixas o suficiente para congelar mercúrio, os oceanos glaciais da região estão tornando-se cada vez mais o foco das empresas que buscam depósitos de energia.

Mundos distintos, Miami e o Ártico estão intimamente ligados por uma tecnologia única da ABB: O Azipod, o potente sistema de propulsão elétrica que permite capitães de cruzeiro a navegarem em espaços estreitos em portos movimentados sem assistência de um rebocador, enquanto permite o transporte seguro e eficiente de gás natural liquefeito a bordo – mesmo através de metros de blocos de gelo, comums na Rota do Mar Noroeste.

“Esta é a combinação perfeita para grandes veículos de cruzeiro que não podem mais operar sem unidades como Azipod – ou para embarcações do tipo quebradores de gelo que não são capazes de transportar cargas na rota Noroeste sem a potência enorme e capacidade de manuseio oferecidas pelo Azipod,” disse Sakari Sorsimo, gerente de vendas do sistema de propulsão Azipod da área de Marine da ABB em Helsinque. "Transformou-se em um problema logístico para muitos dos grandes portos."

Pedidos de cruzeiro, pedidos de passagem pelo gelo.

Desde que a ABB ajudou a desenvolver o Azipod nos anos 80, a empresa de automação e energia entregou mais de 250 unidades Azipod para 115 veículos, ajudando proprietários de navios a economizar até 20% em combustível. Ao girar a unidade 360 graus, os capitães de navios e suas tripulações podem manobrar mais eficientemente, reduzindo o tempo no porto e tornando a viagem mais confortável para milhões de passageiros.

Agora mesmo, os sistemas de propulsão Azipod estão indo nas primeiras duas embarcações da classe Quantum da Royal Caribbean International, o Quantum of the Seas, a ser entregue este ano, e o Anthem of the Seas, previsto para abril de 2015.

Ilustração de um artista do novo Azipod da Finlândia –quebrador de gelo equipado com GNL, a ser entregue em 2016.


É uma continuidade da parceria de longa data entre a ABB e os quebradores de gelo da Finlândia. Para tarefas que adentram o gelo no Ártico, a ABB fornecerá sistemas de propulsão Azipod para transportadores de GNL com o objetivo de acompanhar um navio de carga equipado com Azipod que em 2010 completou a parcela oeste da Rota do Mar Noroeste separando a Europa da Ásia sem escolta de quebradores de gelo, economizando tempo, combustível e dinheiro.

E a Agência Finlandesa de Transporte [Finnish Transport Agency] está esperando pelo primeiro quebrador de gelo a GNL do mundo em 2016, equipado com três unidades propulsoras Azipod. É uma continuação de um longo relacionamento que teve início em 1939, quando a ABB entregou pela primeira vez a tecnologia de propulsão elétrica a bordo do quebrador de gelo finlandês Sisu.

Fabricado na Finlândia, disponível ao redor do mundo

A produção das unidades Azipod é verdadeiramente uma joint venture das fábricas da ABB na Finlândia.

Na fábrica de Azipod da ABB no Porto Vuosaari perto de Helsinque, leva aproximadamente dois meses para os técnicos montarem as enormes unidades de propulsão de aço blindado– elas pesam até 380 toneladas para aplicações em embarcações que navegam através do gelo- antes de entregá-las aos estaleiros.
E por toda a cidade na fábrica de motores, geradores e acionamentos da ABB, os poderosos motores síncronos no núcleo do Azipod tomam forma em seis meses.

Um estator para um motor do sistema de propulsão Azipod, sendo finalizado dentro da fábrica de motores da ABB em Helsinque
Por exemplo, material de cobre para os estatores é isolado, às vezes à mão. Testes meticulosos são conduzidos, e componentes são certificados pela Lloyds Registry, para garantir a qualidade e a confiabilidade do equipamento em que clientes terão pelos próximos 40 anos. Como um integrador de sistema, a ABB conta com produtos confiáveis fabricados amplamente em suas próprias fábricas.

"A ABB tem um forte controle dos componentes únicos que farão parte do sistema," disse Harri Makinen, gerente de vendas e marketing da ABB na fábrica de máquinas em Helsinque. “Os clientes sabem que quando eles compram da ABB, podem rastrear os componentes até aqui.”

‘Por que eu não fiz este curso 10 anos atrás?’

A quinze quilômetros de distância, no campus da Aalto University perto de Helsinque, o Centro de Educação Marítima de Aboa Mare [Aboa Mare Maritime Education Center] – fundado pelo Czar russo Alexander I há cerca de dois séculos – hospeda o simulador de treinamento Azipod da ABB.

Muito parecidos com simuladores de voo para profissionais de companhias aéreas, capitães e oficiais superiores de todo o mundo vêm aqui para aprender nuances de condução de um navio equipado com Azipod em uma ponte similar a uma ponte real capaz de reproduzir portos agitados de Rotterdam na Holanda a Southampton no Reino Unido.

O simulador de navio do Aboa Mare Maritime Education Center perto de Helsinque, onde a ABB oferece a capitães e tripulações treinamento em Azipod
Um oficial com 16 anos de experiência em veículos de cruzeiro e navios-tanque de óleo operando do Golfo Pérsico até o Estreito de Malacca na Ásia disse que pilotar um navio com um Azipod e um com propulsão convencional é “a diferença entre dirigir um carro e pilotar um avião.”

Risto Gylden, arquiteto naval e especialista sênior em Azipod, coordenando o treinamento de simulador da ABB, visa garantir até que marinheiros experientes utilizem as capacidades exclusivas do Azipods a seu potencial máximo, fazendo escalas mais rápidas, mais eficientes e economizando tempo e combustível.

“Nós treinamos capitães de navios Azipod para serem calmos e eficientes” disse Gylden. “Um comentário que recebemos é, ‘Porque não tivemos esse curso há 10 anos.’ “

Busca