O velho é novo outra vez

2014-04-01 - Substituir robôs antigos por recondicionados manteve a cerveja a fluir numa fábrica de cerveja em Atenas.

Ao lado de uma estrada movimentada em Atenas, Grécia, o agradável aroma de malte de cevada flutua pelo ar. A sua origem é a unidade da Athenian Brewery, parte da Heineken Internacional. A fábrica tem uma unidade de engarrafamento que pode produzir cerca de 1,6 milhões de garrafas de cerveja por dia, embaladas em 75 mil caixas, durante a estação alta de verão.

No interior, seis de um total de 75 funcionários supervisionam a unidade de engarrafamento, totalmente automatizada. Maquinaria de ponta limpa, enche, etiqueta e embala garrafas de 500 mililitros de cerveja Amstel em caixas de 20. O ruído e a atividade são impressionantes, assim como a taxa de retorno: apenas 3 a 4% das garrafas são novas.

Os robôs na linha de produção - seis IRB 6400S recondicionados da ABB - são carregadores industriais originalmente produzidos para a indústria automóvel. Quatro dos robôs desembalam garrafas vazias, enquanto mais dois enchem as caixas plásticas usando uma aplicação pick-an-place (recolher e colocar); os robôs conseguem selecionar garrafas de marca própria de uma caixa com retornos misturados.

“Os benefícios destes robôs é que conseguem executar um trabalho muito difícil, muito rapidamente e com resultados muito fiáveis", diz Eleftherios Agrafiotis, Chefe de Manutenção da Athenian Brewery.

Em 2010, após 10 anos de uso contínuo – os embaladores desempenhavam cerca de um milhão de ciclos de 10 segundos por ano – a fábrica de cerveja teve de tomar uma decisão sobre a condição de desgaste dos robôs durante uma paragem de manutenção programada.

“Existiam duas possibilidades,” diz Agrafiotis. “A primeira opção era a de adquirir robôs novos e a segunda de optar por robôs recondicionados. O custo não tinha comparação - e um ano e meio mais tarde, posso afirmar que a opção recondicionada foi a melhor opção, já que os robôs estão a trabalhar sem problemas."



Agrafiotis aponta que, além do baixo custo controlável dos robôs recondicionados, a ABB também oferece uma garantia. Christos Skarlatakis, Engenheiro Elétrico da ABB na Grécia, esteve envolvido no processo de substituição dos robôs. Afirma que os modelos recondicionados podem duplicar a vida útil da operação de um cliente.

“Retiramos o robô desgastado e trouxemos um recondicionado, preparado por profissionais da ABB, para que pudessem continuar a fazer a mesma tarefa, sem alterar o programa do controlador ou a instalação - substituindo apenas o braço mecânico," diz Skarlatakis.

Ainda assim, a remoção dos robôs antigos e a instalação dos recondicionados sem interromper a linha de produção foi um desafio.

“Não existia acesso à posição dos robôs ", explica Agrafiotis. “ E além disso, existia mais uma restrição: o tempo. Tivemos menos de 10 dias para substituir os robôs, e para mim foi um milagre conseguirmos substituí-los no prazo. Por isso, gostaria de agradecer à ABB, porque nunca acreditei que fosse possível, e eu estava errado.”

Cada robô pesa quase 2 toneladas, pelo que a substituição foi executada em duas fases (três robôs de cada vez). Os antigos foram acorrentados a uma grua monocarril rodeada por andaimes e retiradas; o inverso foi feito quando os robôs recondicionados foram colocados.

As divisões de Discrete Automation and Motion e de Process Automation da ABB na Grécia, em conjunto com o departamento de Robotics Service da ABB em Itália, cooperaram até à conclusão deste projeto.

“No final, os resultados foram ótimos,” afirma Skarlatakis. “O projeto terminou dentro do prazo definido e o cliente ficou realmente satisfeito porque a linha de produção permaneceu operacional desde o início.”

Graça à instalação bem sucedida, a fábrica de cerveja pensa em usar mais um robô recondicionado numa futura extensão.



Siga-nos nas redes sociais:

Follow us on TwitterGet LinkedInConnect on FacebookSubscribe on YouTube

ENTRE EM CONTATO

  • Para mais informações:
  • José Rodrigues
  • Robótica

    [

    Subscreva a nossa newsletter:


ARTIGO NA ÍNTEGRA: